Agħlaq

IL-VERŻJONI BETA TAL-PORTAL ISSA HI DISPONIBBLI!

Żur il-verżjoni BETA tal-Portal Ewropew tal-Ġustizzja Elettronika u agħtina l-feedback dwar l-esperjenza tiegħek!

 
 

Mogħdija tan-navigazzjoni

menu starting dummy link

Page navigation

menu ending dummy link

Custas judiciais - Áustria

Din il-paġna ġiet tradotta awtomatikament u l-kwalità tagħha ma tistax tkun garantita.

Il-kwalità ta' din it-traduzzjoni ġiet evalwata bħala: mhux affidabbli

Taħseb li din it-traduzzjoni hi utli?

Esta página contém informações sobre as custas judiciais na Áustria.


Custas judiciais

Quadro regulamentar dos honorários dos profissionais da Justiça

Advogados

Nos termos do Código dos Advogados austríacos, as taxas a pagar pelos serviços prestados podem, de um modo geral, ser acordadas livremente entre clientes.

A taxa pode ser calculada com base numa taxa horária ou pode ser acordada como uma taxa fixa. A taxa fixa não inclui os serviços individuais nem o tempo. Na ausência de acordos explícitos, presume-se que foi acordada uma taxa adequada.

O Código de Processo Civil e a Lei Coletiva da Ordem dos Advogados preveem que, no âmbito de uma ação cível, o tribunal deve determinar na decisão sobre os custos a proporção dos custos a reembolsar pela parte vencida à parte vencedora. Os custos são calculados com base no valor do pedido e na duração e natureza do serviço prestado.

Em processo penal, qualquer pessoa (demandada *, procurador privado *, parte civil *) que tenha nomeado um advogado para o representar deve igualmente suportar as despesas daí resultantes. Tal é igualmente o caso se o advogado de defesa tiver sido nomeado oficiosamente, a menos que estejam preenchidas as condições para a concessão de apoio judiciário. Os custos variam regularmente de acordo com o tribunal e a composição do painel (por exemplo, tribunal distrital, tribunal regional com um único juiz *, tribunal de júri, tribunal de júri).

Solicitadores de execução

A lei relativa às taxas de execução estabelece a remuneração que os oficiais de justiça recebem para as suas atividades. Em especial, a lei prevê o pagamento de uma taxa de execução pelo credor aquando da apresentação do pedido de execução, juntamente com uma taxa fixa prevista na lei das custas judiciais (GGG).

A taxa de execução (secção A ligação abre uma nova janela2 da Lei das Taxas de Execução) faz parte do custo de um procedimento de execução. A pedido do credor, o tribunal pode decidir, na decisão relativa aos custos, que a taxa de execução deve ser reembolsada pelo devedor *.

O oficial de justiça tem igualmente direito a uma remuneração pela receção dos pagamentos. Tal pode ser deduzido do montante operado (artigo A ligação abre uma nova janela11.º da Lei das Taxas de Execução).

Custos

Custos fixos em processos cíveis

Custos fixos para partes em processos cíveis

As custas judiciais a pagar pelos serviços prestados pelo tribunal são calculadas como taxas fixas ( honorários fixos) ou a 100 (milhares) taxas de taxa (percentagem da base de avaliação). O seu montante depende da natureza do processo, do valor do crédito (que depende do montante do crédito expresso em dinheiro) e do número de partes. No caso de mais de duas partes, pode ser adicionado um suplemento de 19 a -50 % (de 10).

Quando devem as despesas ser pagas no âmbito de um processo civil?

No processo civil em primeira instância, a taxa forfetária deve ser paga no momento da propositura da ação. A taxa só é paga uma vez, independentemente do decurso do processo, mesmo que a ação seja dirigida contra mais do que um crédito e contra mais de uma pessoa. A taxa fixa cobre todo o processo em primeira instância. Se o pedido for prorrogado no decurso da instância, podem ser pagas outras taxas. Estas devem ser pagas no momento da apresentação dos articulados. Se os pedidos forem prorrogados durante uma audiência, as taxas devem ser pagas desde o início do processo. Na segunda e na terceira instância, a taxa deve ser paga no momento da interposição do recurso (Section 2 (1) da Lei das custas judiciais, GGG). A título de exceção, no âmbito de um processo de jurisdição voluntária, é por vezes devida uma taxa de decisão em vez da taxa de recurso.

Custos em processo penal

Custos para os litigantes em processo penal

Em princípio, não são pagas custas judiciais no âmbito de um processo penal. É apenas nos processos penais privados que são devidas taxas de inscrição para os pedidos de início ou de continuação de um processo penal, bem como para recursos e recursos de anulação interpostos pelo Ministério Público.

Quando devem as despesas ser pagas no âmbito do processo penal?

As taxas fixas devem ser pagas mediante a apresentação do registo que desencadeia a taxa.

Custos em processos perante o Tribunal Constitucional

Custos para os litigantes no processo perante o Tribunal Constitucional

Nos termos do § 17a (1) da mesma lei (Lei do Tribunal Constitucional, VfGG), a taxa é de 240 EUR.

Quando devem as despesas ser pagas no processo perante o Tribunal Constitucional?

As taxas fixas devem ser pagas no início do procedimento.

Obrigações de informação dos advogados e advogados

Direitos e obrigações das partes

Regra geral, os advogados são obrigados a informar os seus clientes sobre a forma como os custos são calculados e quais os custos esperados. A este respeito, a secção 15 (2) das Orientações relativas ao exercício da profissão de advogado (RL-BA 2015) recomenda que, aquando da celebração de um novo contrato, os advogados informem os seus clientes acerca da base de cálculo da remuneração e do direito a uma declaração intercalar. Se não tiver sido acordada nenhuma taxa fixa, o cliente pode solicitar, a intervalos adequados, uma demonstração financeira intercalar ou um relatório intercalar sobre os serviços já prestados ou o tempo necessário para o efeito (se tiver sido acordado um cálculo baseado em comissões horárias). Do mesmo modo, deve ser alcançado um acordo sobre o início e a frequência da liquidação intercalar antes de o advogado ser nomeado.

Fontes de informação sobre os custos

Onde poderá obter mais informações sobre a legislação da Áustria em matéria de custos?

As disposições legais em matéria de reembolso de despesas em processos cíveis (incluindo questões comerciais) são estabelecidas nas secções 40-55 do Código de Processo Civil (CPC). No caso de processos de jurisdição voluntária (por exemplo, processos familiares, em especial em caso de litígios em matéria de divórcio, de custódia, de contacto e de manutenção), são aplicáveis regras diferentes em matéria de reembolso de despesas. As regras gerais são estabelecidas no § 78 da Außstgesetz (AußStrG).As exceções aplicam-se, nomeadamente, nos processos relativos ao direito de guarda, ao direito de contacto ou à manutenção dos menores. Os custos dos processos penais são regidos pelos artigos 380.º a 395.º do Código de Processo Penal (Código de Processo Penal). As custas judiciais (honorários fixos) são reguladas pela lei das custas judiciais (GGG).

Está disponível em linha na página A ligação abre uma nova janelaprincipal da Ordem dos Advogados austríaca uma brochura que resume os honorários dos advogados. As informações gerais podem também ser consultadas através da plataforma interagências oesterreich.gv.at A ligação abre uma nova janelaatravés da ligação: Período de vida > Documentos e lei > Direito civil > Processo civil disponível.

Este sítio Web, oesterreich.gv.at, A ligação abre uma nova janelafornece informações gerais sobre as custas judiciais. Os textos jurídicos (lei das comissões em matéria de competência, produtos pautais) podem ser consultados gratuitamente através da ligação ao A ligação abre uma nova janelaSistema Federal de Informação Jurídica no sítio Web da Chancelaria Federal.

Em que línguas estão disponíveis as informações sobre a legislação em matéria de custos na Áustria?

Em alemão.

Onde poderá obter informações sobre mediação/arbitragem?

Uma lista de mediadores mantida pelo Ministério Federal da Justiça está disponível num sítio A ligação abre uma nova janelaWeb dedicado à mediação.

No que diz respeito à justiça reparadora em processos penais, as informações sobre a indemnização (mediação entre o arguido e a vítima) estão disponíveis na página inicial NEUSTART. A ligação abre uma nova janelahttp://www.neustart.at/AT/de/Angebote_/_Service/Hilfe_fuer_Opfer/

Onde posso obter informações adicionais sobre os custos?

Informações em linha sobre os custos processuais

As informações gerais sobre a ordem jurídica austríaca, as despesas e o Ministério Federal da Justiça podem ser consultadas no sítio da A ligação abre uma nova janelaJustiça austríaco e no sítio web oesterreich.gv.at, que A ligação abre uma nova janelafornece informações de fácil leitura.

O sistema A ligação abre uma nova janelafederal de informação jurídica fornece os seguintes textos jurídicos:

  • Lei das custas judiciais (GGG)
  • Lei do imposto sobre os encargos (GebAG)
  • Código de barras (RAO)
  • Lei dos advogados (RATG)

O texto dos critérios gerais de honorários (AHK) figura noA ligação abre uma nova janelaportal dos advogados austríacos.

Onde posso obter informações sobre a duração média dos vários tipos de processos?

Queira contactar diretamente o Ministério Federal da Justiça austríaco para o efeito.

Onde posso obter informações sobre o custo total médio de um determinado processo?

As custas judiciais a pagar por cada tipo de processo são fixadas antecipadamente (Lei relativa às custas judiciais). Pode mudar a um valor superior ou inferior. Nos processos cíveis, o tribunal determina na decisão sobre os custos que as custas e custos judiciais (honorários de advogados, honorários de peritos e intérpretes ou honorários de tradutores) são reembolsados pela parte vencida. Esta decisão baseia-se na lei dos advogados (para honorários dos advogados) e na Lei relativa às taxas (para peritos e intérpretes e tradutores). Estes custos baseiam-se, em grande medida, nas despesas e no tempo gasto. Por conseguinte, não é possível fixar previamente um montante preciso. As taxas a pagar pelos clientes aos advogados podem, em princípio, ser livremente acordadas.

IVA

Onde podem ser obtidas informações sobre o IVA? Quais são as taxas?

Os serviços prestados pelos advogados estão sujeitos ao imposto sobre o volume de negócios. É de 20 % na Áustria. À semelhança de outras despesas, os advogados devem ser remunerados separadamente, em conformidade com o artigo 16.º da lei dos advogados e a secção 17 das taxas gerais. O imposto sobre o volume de negócios não está incluído nas posições pautais da lei dos advogados e nos critérios gerais de remuneração.

Apoio judiciário

Limiar de rendimento aplicável em matéria civil

O apoio judiciário não está associado aos limites legais de rendimento. Em matéria civil (e em matéria comercial), o apoio judiciário é regido pelo Código de Processo Civil austríaco. As disposições do Código de Processo Civil aplicam-se mutatis mutandis aos processos de jurisdição voluntária. O tribunal de primeira instância decide sobre a ajuda ao processo.

O apoio judiciário só é concedido a uma parte se os seus rendimentos, condições financeiras e obrigações de alimentos forem de tal ordem que não possam fazer face às custas dos processos judiciais, sem prejuízo da manutenção necessária para lhe permitir viver facilmente. O apoio judiciário não é concedido se a ação judicial ou a defesa em causa forem manifestamente infundadas ou não comprovadas. O tribunal decidirá em cada caso qual das prestações a seguir enumeradas será concedida.

Na Áustria, o apoio judiciário pode incluir, nomeadamente:

  1. uma isenção temporária do pagamento de custas judiciais, de honorários de testemunhas, peritos e intérpretes, do custo das declarações necessárias e de um curador * n, bem como das despesas de tesouraria do representante legal ou do advogado nomeado pelo tribunal;
  2. representação por um advogado.

No prazo de três anos a contar do encerramento do processo, uma parte pode ser obrigada a reembolsar a totalidade ou parte do apoio judiciário se a sua situação financeira mudar em conformidade e puder efetuar os pagamentos correspondentes sem afetar negativamente a sua manutenção necessária.

Limiar de rendimento aplicável aos requeridos e às vítimas de crime em processo penal

Não existem limites de rendimento fixo utilizados para avaliar se o demandado ou a vítima ou parte privada de um crime tem direito a apoio judiciário. As orientações a seguir apresentadas são as seguintes: Uma estadia superior ao mínimo de subsistência e inferior a um nível de subsistência razoável. O nível mínimo de subsistência é regularmente reavaliado e indicado ao nível atual no sítio Web do sistema judiciário austríaco. A ligação abre uma nova janelahttp://www.justiz.gv.at/

Condições para a concessão de apoio judiciário às vítimas da criminalidade

Na falta de direito a assistência jurídica na aceção da secção 66 (2) do Código de Processo Penal, os particulares podem beneficiar de apoio judiciário ou de apoio judiciário se:

  • não é possível representar um advogado sem afetar a manutenção necessária (ver as observações supra sobre a subsistência); e
  • A representação por um advogado é necessária no interesse da justiça, em especial no interesse da correta execução dos créditos, a fim de evitar processos civis subsequentes.

Condições para a concessão de apoio judiciário aos requeridos

Para que o apoio judiciário seja concedido, deve ser do interesse da justiça, nomeadamente no interesse de uma defesa adequada, para além da existência das condições financeiras.

No interesse da justiça, é, em todo o caso, adequado prestar aconselhamento em matéria de defesa se:

  • Existe um caso de defesa necessária, na aceção da secção 61 (1) do Código de Processo Penal (ver infra), em que a pessoa acusada é cega, surdo, de outro modo obstruída ou não está suficientemente familiarizada com a língua do tribunal, não podendo, por conseguinte, defender-se;
  • para o processo de recurso;
  • na eventualidade de uma situação de facto ou de direito difícil.

Em caso de necessidade de defesa, o arguido ou arguido deve ser representado por um * n advogado de defesa *. Existe uma defesa necessária nos seguintes casos (Secção 61 (1) do Código de Processo Penal):

  • se e enquanto estiver em regime de prisão preventiva (ponto 1);
  • ao longo de todo o processo de colocação numa instituição de infratores mentais anormais (ponto 2);
  • no processo principal, para a colocação numa instituição de pessoas coletivas que tenham necessidade de desmame ou numa instituição de reincidência perigosa (ponto 3);
  • no processo principal no Tribunal Regional como júri ou tribunal de júri (Z 4),
  • no processo principal no tribunal regional como juiz singular *, se a infração for punível com pena de prisão superior a três anos, exceto nos casos de furto em conformidade com a Secção 129 (2) (1) do Código Penal e tratamento previsto na secção 164 (4) do Código Penal (n.º 5),
  • exame contraditório (§ 165), na medida em que o processo principal sob os n.os 3 a 5 implica a defesa necessária (§ 5a),
  • ao recurso de uma decisão do júri ou do júri (n.º 6);
  • o pedido de renovação do processo penal e a respetiva audição pública (ponto 7);

Gratuito

No âmbito de um processo penal, as vítimas de violência, as ameaças perigosas ou os crimes sexuais, as infrações terroristas ou as infrações suscetíveis de ter explorado a sua dependência pessoal, bem como o cônjuge, o parceiro registado *, o parceiro, o parceiro, os familiares da linha reta, do irmão ou da irmã de uma pessoa ou de outros dependentes cuja morte possa ter sido causada por uma infração penal, ou os direitos de outros familiares a título gratuito, têm direito a proteção jurídica e a processos judiciais. Em qualquer caso, as vítimas que possam ter sido lesadas na sua integridade sexual e que ainda não tenham completado 14 anos de idade beneficiam de assistência jurídica gratuita, mesmo sem pedido. O apoio psicossocial inclui a preparação das pessoas em causa para o processo e as pressões emocionais associadas. A assistência psicossocial e jurídica é prestada por organizações de apoio às vítimas, contratadas pelo Ministério Federal da Justiça, nos termos da Secção 66 (2) do Código de Processo Penal.

No âmbito de um processo não contencioso, não serão cobradas taxas pelo processo de nomeação de um representante adulto ou em matéria de guarda. Também não existem taxas relativas a processos ao abrigo da lei relativa ao alojamento ou da lei relativa à residência. O apoio judiciário pode ser concedido sob a forma de uma isenção temporária de taxas quando os rendimentos são baixos em relação às taxas a pagar. O grau de isenção depende do pedido e fica ao critério do tribunal.

Quando é que a parte vencida tem de pagar as custas da parte vencedora?

Processo contencioso

O Código de Processo Civil austríaco (CPC) regula as despesas em processos cíveis (incluindo em matéria comercial). O ZPO prevê que, em princípio, cada parte deve suportar as despesas que tiver suportado em primeira instância. Os custos incorridos conjuntamente são, de momento, suportados conjuntamente. Quando o Tribunal decide sobre o processo, toma igualmente uma decisão quanto às despesas. Tal é feito com base no princípio do sucesso. A parte que perde o litígio em qualquer momento deve reembolsar à outra parte todas as despesas e honorários necessários para a instauração de uma ação adequada ou para a defesa do processo. Se cada parte obtiver vencimento parcial, as despesas são objeto de anulação ou de repartição dos custos.

A derrogação ao princípio do êxito está prevista, nomeadamente, nos seguintes casos:

  • em caso de falha menor, se a parte rejeitada da ação não tiver dado origem a custos específicos
  • no caso de o montante do crédito ser determinado por peritos ou de acordo com o critério do órgão jurisdicional e no caso de liquidação recíproca
  • se o comportamento do demandado não tiver dado origem ao crédito e o requerido aceitar o pedido na primeira oportunidade;
  • se o motivo de anulação ou de declaração da nulidade caiba a uma das partes, esta pode ser condenada a suportar a totalidade das despesas.

Processos de jurisdição voluntária

As questões familiares (manutenção, direito de contacto, direito de guarda e divórcio por mútuo consentimento) são tratadas como processos não contenciosos. O § 78 da Außstgesetz (AußStrG) fixa as regras gerais relativas às despesas do processo. Muitos procedimentos estão isentos da aplicação destas regras. Também neste caso é normalmente aplicado o princípio da responsabilidade de desempenho, mas tal pode ser abandonado por razões de equidade.Caso não tenha sido solicitado qualquer reembolso, as despesas de tesouraria (por exemplo, honorários de peritos) devem ser pagas proporcionalmente à parte do item. Se não for possível determinar o rácio, estes devem ser partilhados em partes iguais.

Informações sobre os diferentes tipos de processos (manutenção, contacto, guarda e divórcio):

  1. No âmbito de um processo de divórcio, deve ser feita uma distinção entre um divórcio e um divórcio por consenso.

Divórcio em causa: Aplicam-se aqui disposições específicas do Código de Processo Civil austríaco. Se nenhuma das partes for responsável pela rutura do casamento, as despesas são anuladas. Se o divórcio for divorciado com base na dissolução e a decisão de divórcio contiver um erro na dissolução, o cônjuge inocente é responsável pelo pagamento das despesas ao outro cônjuge.

Divórcio por consenso: As regras relativas a um processo de jurisdição voluntária são aplicáveis ao divórcio por mútuo consentimento. Nesse caso, os cônjuges apresentarão dois pedidos idênticos ao tribunal. Uma vez que o processo não está em litígio, não será tomada qualquer decisão quanto às despesas. As despesas de tesouraria devem ser suportadas em partes iguais pelas partes.

  1. Os procedimentos de custódia e de contacto são também processos de jurisdição voluntária. Com base numa cláusula de exceção (§ 107 (5) da AußStrG), os custos do processo não são reembolsados.
  2. Uma outra cláusula de exceção (§ 101 (2) da AußStrG) prevê que não deve ser efetuado qualquer reembolso das despesas no âmbito de processos relativos a alimentos de menores.

Processo penal

Qualquer pessoa que, no âmbito de um processo penal, tenha um advogado * ou outro representante * também deve suportar os custos dessa representação, mesmo que seja acompanhada por um representante * por sua própria iniciativa (secção 393 (1) do Código de Processo Penal).

Em caso de condenação, o requerido deve igualmente reembolsar as custas do processo penal (artigo 389.º ( 1) do Código de Processo Penal). A ligação abre uma nova janelaNos termos da secção 381 (1) do Código de Processo Penal, podem ser efetuadas as seguintes despesas em processo penal:

  1. um montante fixo em proporção das despesas do processo penal, que não são adiante especificadas, incluindo os custos dos inquéritos e a execução de ordens emitidas pelo Ministério Público ou pelo tribunal, os atos oficiais necessários. A contribuição fixa é calculada entre 500 EUR e 10 000 EUR no processo perante o Landesgericht, na qualidade de tribunal do júri, entre 250 EUR e 5 000 EUR, no processo no Landesgericht, na qualidade de tribunal do júri, entre 150 EUR e 3 000 EUR, e entre 50 EUR e 1 000 EUR no processo perante o Bezirksgericht.
  2. honorários de peritos e, em princípio, honorários de intérpretes,
  3. remuneração pelas informações, resultados e pareceres emitidos pelas autoridades públicas;
  4. as despesas de transferência do demandado/demandado de outro Estado e as despesas das testemunhas convocadas do estrangeiro,
  5. as despesas de apreensão, de acesso a contas bancárias, de apreensão de cartas, de dados de comunicação e de vigilância das comunicações,
  6. as despesas de execução da condenação, incluindo as despesas de transferência de prisioneiros para o sistema prisional nacional ou estrangeiro, com exceção das despesas de execução de uma pena privativa de liberdade;
  7. as custas judiciais a pagar no âmbito de um processo penal;
  8. as despesas com advogados de defesa e outros representantes,
  9. um montante fixo, em percentagem dos custos da assistência ao processo, até 1 000 EUR.

Com exceção dos custos referidos nos pontos 3, 7 e 9, estes custos devem ser apresentados ao Governo Federal. Ao calcular o montante fixo nos termos do n.º 1 (9), o tribunal deve ter em conta a capacidade económica do devedor. Os custos da disponibilização de um intérprete não fazem parte dos custos a reembolsar pelo demandado.

No entanto, nos termos da secção 391 (1) do Código de Processo Penal, as custas do processo penal só podem ser cobradas à pessoa ou pessoas condenadas na medida em que não ponham em causa a manutenção da pessoa ou das pessoas condenadas, bem como a sua família, necessárias para um meio de vida simples, ou o cumprimento da obrigação de reparar os danos causados pela infração. Se os custos não puderem ser recuperados devido à falta de recursos da pessoa condenada, o tribunal pode declará-los incobráveis. Se o tribunal considerar que os custos atualmente incobráveis podem ser recuperados no futuro, a capacidade económica da pessoa em causa será reavaliada após um determinado período de tempo. Cinco anos após a decisão do processo ter sido tomada, o pedido de pagamento de custas prescreve. Se o tribunal decidir que a pessoa condenada suporta os custos e posteriormente se revelar incapaz de o fazer, as autoridades podem alterar o prazo de pagamento, permitir o pagamento em prestações ou reduzir os custos.

Se, na sequência da decisão do tribunal penal, a pessoa condenada tiver sido condenada a pagar uma indemnização, pelo menos parcial, ao interessado, deve igualmente pagar as custas do processo penal em que tenha incorrido.

Nos termos do artigo 393.º-A do Código de Processo Penal, o arguido absolvido pode pedir ao Governo federal uma contribuição para as despesas da sua defesa. A contribuição inclui as despesas de tesouraria necessárias e efetivamente pagas e uma contribuição fixa para as despesas de defesa. A contribuição fixa é fixada tendo em conta a escala e as dificuldades da defesa e a medida em que o consultor em matéria de defesa é necessário ou adaptado ao fim a que se destina e não pode exceder: no processo no Tribunal Regional como tribunal do júri, 10 000 EUR no processo no Tribunal Regional como tribunal do júri, 5 000 EUR no processo no Tribunal Regional, 3 000 EUR no processo perante o juiz singular do Tribunal Regional e 1 000 EUR no processo perante o tribunal distrital.

Se uma pessoa acusada for absolvida, nos termos do artigo 72.º do Código de Processo Penal (a saber, uma situação) com base numa acusação privada ou na acusação de uma parte civil, o Ministério Público deve suportar todos os custos decorrentes da sua acusação ou da sua manutenção. No caso de o processo penal ser executado de forma secundária (artigos 198.º a 209.º do Código de Processo Penal), o interessado não tem de suportar quaisquer custos.

Reembolso de peritos

Nos processos cíveis contenciosos (incluindo processos comerciais), os honorários dos peritos são cancelados ou proporcionalmente partilhados, em função da existência ou do sucesso do processo (artigo 43.º (1) do Código de Processo Civil).

No processo de divórcio contestado, sem culpa na decisão de divórcio, as despesas de caixa são anuladas. Se uma parte tiver pago mais de metade das despesas, a outra parte terá de pagar a parte paga em excesso. Se a decisão de divórcio revelar a culpa de uma das partes, a outra parte deve reembolsar as despesas do perito.

Nos procedimentos que se seguem, os honorários dos peritos inicialmente contratados pelas autoridades públicas devem ser reembolsados pelas partes que tenham causado os custos ou cujos juros sejam incorridos: divórcio, custódia e direitos de contacto, pedido de alimentos a filhos menores. Se várias pessoas forem obrigadas a reembolsar os honorários, são solidariamente responsáveis [Section 1 (5) da Judicial Transfer Act (EIC), em conjugação com a Secção 2 (1) do GEG].

O nível dos honorários dos peritos é regido pela Lei relativa às taxas cobradas (GebAG). Depende, em cada caso, do conteúdo e do âmbito do relatório solicitado pelo Tribunal.

Nos processos penais, os honorários dos peritos fazem parte dos processos penais [secção 381 (1) (2) do Código de Processo Penal] que são devidos pela pessoa condenada, nos termos da secção 389 (1) do Código de Processo Penal. Os honorários dos peritos são definidos pelo tribunal ou pelo Ministério Público e avançados pelo Governo federal.

Honorários de tradutores e intérpretes

O que precede é igualmente aplicável à remuneração dos tradutores e intérpretes.

Documentos relacionados:

Relatório da Áustria sobre oPDF estudo de transparência dos custos (829 Kb)PT

Ligações relacionadas

A ligação abre uma nova janela§ 32 GGG


O presente texto é uma tradução automática. O proprietário da página declina qualquer responsabilidade pela qualidade do texto traduzido automaticamente.

Última atualização: 10/08/2020